segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Troféu Mário Lago homenageia medalhões da Globo


A 18ª edição do Troféu Mário Lago foi mais que especial no último Domingão do Faustão de 2018, em 30/12! Pela primeira vez, a premiação anual do programa homenageia seis atores de uma só vez, são eles: Aracy Balabanian, Arlete Salles, Ary Fontoura, Francisco Cuoco, Milton Gonçalves e Nicette Bruno.

A noite repleta de grandes artistas, que fazem parte da história da televisão brasileira, também foi de muita emoção. Os homenageados assistiram à depoimentos de pessoas queridas, que acompanharam momentos marcantes de suas vidas, e também receberam muitos aplausos e carinho da plateia.

Os seis homenageados receberam os troféus das mãos de Glória Menezes, Laura Cardoso, Lima Duarte e Tarcísio Meira, atores que já foram agraciados com o prêmio em anos anteriores.

Além dos seis atores presentes no palco para a homenagem, Eva Wilma e Nathalia Timberg também receberam o Troféu Mário Lago 2018, mas não puderam comparecer e receberão o prêmio em suas casas.


Aracy Balabanian


A atriz que tem 78 anos de idade e 55 de carreira, já atuou em 41 novelas, 5 minisséries, 12 peças de teatro, quatro filmes e fez um programa infantil. Homenageada com o Troféu Mário Lago 2018, Aracy Balabanian recebeu depoimentos carinhosos de Giovanna Lancellotti, Tony Ramos, Marcello Novaes, Miguel Falabella.

“Essa é a minha família, são os meus colegas”, afirmou Aracy, ao agradecer os depoimentos.


Milton Gonçalves


Com 85 anos de idade e 61 anos de carreira, Milton Gonçalves tem no currículo 50 novelas, mais de 70 filmes e mais de 30 peças de teatro. O ator, que está no ar como Eliseu em O Tempo Não Para, foi um dos três primeiros atores contratados pela TV Globo e chorou ao assistir os depoimentos de Fabrício Boliveira, Thereza Amayo e seus filhos Alda e Maurício.

"Muito obrigado! Muito obrigado!", agracedeu Milton, emocionadíssimo.


Francisco Cuoco


O galã Francisco Cuoco, com 85 anos de idade, tem 50 novelas, 12 séries, 10 filmes e 28 peças em sua trajetória profissional. Lembrado por vários papéis marcantes na dramaturgia brasileira, o ator recebe depoimentos generosos de Fernanda Torres, Renata Sorrah, Regina Duarte e Fernanda Montenegro.

"Estou absolutamente emocionado com a festa que está nos proporcionando. Você e sua equipe fizeram um programa que é um mergulho num passado e num presente, ainda futuro", agradeceu Cuoco, a Faustão.


Ary Fontoura


O curitibano tem 85 anos de idade e 65 de carreira, um trajetória brilhante de 43 novelas, 13 séries, 21 filmes e 10 peças. Ary Fontoura recebeu depoimentos carinhosos dos amigos Jane Távora e Sinval Martins, direto da capital paranaense, e também do ator e amigo Marco Nanini, das atrizes Patricia Pillar e Deborah Secco.

"Muito obrigado pelo reconhecimento e, sobretudo, por terem aproveitado as oportunidades oferecidas", agradeceu Ary.


Arlete Salles


A pernambucana de Paudalho, Arlete Salles construiu uma trajetória de sucesso com mais de 68 novelas, sete séries, 19 peças e 15 filmes. Com 76 anos de idade, ela tem 60 de carreira. Saudosa do nordeste, a atriz recebeu recados carinhosos dos amigos Jorge Santana e Albuquerque Pereira, direto de Pernambuco, e também da amiga e colega de profissão, Lilia Cabral, e Emilio Dantas.

"Sou fã da Lilia e não esperava que ela viesse falar aqui pra mim hoje. Obrigada, querida!", agradeceu Arlete.


Nicette Bruno


Intérprete da inesquecível Dona Benta, do Sítio do Pica Pau Amarelo, Nicette Bruno começou ainda criança na carreira artística. Com 85 anos de idade e 81 de carreira, ela já trabalhou em 34 novelas, 17 séries, 11 filmes e 53 peças. No palco do Domingão, ela assistiu emocionada aos depoimentos da neta Vanessa Goulart, do ator Marcos Caruso e de Isabelle Drummond.

"Olha, Fausto, eu tô tendo um momento incrível de emoção. Eu quero dizer que o teatro faz parte da minha vida, eu não seria outra coisa se não atriz. E não seria feliz se ao lado dessa trajetória, eu não tivesse uma família. Hoje você está me dando a oportunidade de ser mais feliz. Muito obrigada!", agradeceu Nicette.


Outros homenageados:

Relembre quem foram os atores agraciados com o Troféu Mário Lago nas edições anteriores:

Mário Lago (2001)
Laura Cardoso (2002)
Paulo José (2003)
Tarcísio Meira e Glória Menezes (2004)
Tony Ramos (2005)
Lima Duarte (2006)
Gloria Pires (2007)
Gilberto Gil (2008)
Antônio Fagundes (2009)
Hebe Camargo (2010)
Regina Duarte (2011)
Roberto Carlos (2012)
Fernanda Montenegro (2013)
William Bonner (2014)
Susana Vieira (2015)
Mauro Mendonça e Rosamaria Murtinho (2016)
Caetano Veloso (2017)


Fonte: Gshow

domingo, 30 de dezembro de 2018

Globo volta a turbinar banco de elenco: 1.540 artistas


Depois de demitir atores do calibre de Malu Mader e Giulia Gam, a Globo voltou a contratar artistas por longa duração no segundo semestre deste ano. A emissora vai fechar 2018 com um crescimento de 15% no seu banco de elenco, totalizando 1.540 nomes, entre estrelados veteranos, como Tony Ramos e Gloria Pires, autores e diretores de novelas e séries. É a primeira vez que a Globo revela quantos artistas tem em seu banco de talentos.

Nos últimos anos, a emissora adotou uma política de enxugamento de sua lista de contratados. Profissionais experientes que eram pouco utilizados, entre eles Danielle Winitts e Maitê Proença, foram dispensados.

Algumas vagas foram ocupadas por novos talentos, mas nem todas. No início deste ano, por exemplo, as cinco atrizes reveladas na temporada Viva a Diferença de Malhação chegaram a ficar desempregadas.

Com a nova política, Gabriela Medvedovski, Daphne Bozaski, Heslaine Vieira, Ana Hikari e Manoela Aliperti ganharam contratos sem ter que trabalhar. Elas aguardam a ordem para começar a gravar As Five, uma série derivada de Malhação para o Globoplay.

A plataforma de streaming do Grupo Globo está por trás na mudança de planos que causou o crescimento de 15% no banco de elenco. Para competir com a Netflix, a Globo decidiu produzir séries exclusivas ou com primeira janela para o streaming. Caso das recém-lançadas Assédio e Ilha de Ferro, por exemplo. Isso aumentou o número de produções consideravelmente.

Assim, a Globo precisa de mais atores e de mais estúdios - um novo módulo está sendo construído no Rio de Janeiro. Como a Netflix também está produzindo bastante no Brasil, seu segundo maior mercado global, aumentar o banco de elenco também é uma forma de bloquear o acesso da concorrente a atores que a Globo considera imprescindíveis para seus produtos.

Recentemente, a Globo renovou contrato com Rosamaria Murtinho, Mauro Mendonça e Ney Latorraca, três veteranos que produzem pouco, pela idade avançada ou por não aceitarem qualquer trabalho. Ney Latorraca é um exemplo da nova ordem: nos últimos dois anos, ele recusou duas produções, a série Brasil a Bordo e a novela Deus Salve o Rei.

A nova estratégia também abre espaço para iniciantes que, se não chamam a atenção, não decepcionam. É o caso de Dan Ferreira, o apagado Acácio de Segundo Sol. Da última novela das nove, a Globo também contratou por dois anos as revelações Kelzy Ecard e Claudia Di Moura. A última, teve que disputar com a Netflix.

O banco de elenco da Globo irá crescer ainda mais em 2019. Atores que estão com contratos a vencer ou que estão no ar com vínculos temporários, principalmente de O Tempo Não Para, já estão sendo chamados para conversar.

Fonte: Notícias da TV

O que ver na TV na noite de Réveillon

Mais uma passagem de ano chegando, e as emissoras se preparam, com exceção do SBT e RedeTV! Para oferecer uma programação diferenciada ao público.


Globo - Na próxima segunda-feira (31), a Globo exibirá seu tradicional "Show da Virada" depois de "O Sétimo Guardião", com pausas para mostrar a queima de fogos pelo Brasil. Na sequência, já em 2019, fará uma maratona de "Cinema Especial" até o "Mais Você", que começará mais cedo, às 08h20.

Serão quatro filmes diretos, iniciando por volta de 01h49 com o inédito e pouco alardeado "Se Beber, Não Case! - Parte III". As duas primeiras foram exibidas pelo SBT.


Logo após, às 3h26, a Globo exibe um dos filmes campeões de reprise da TV a cabo: "As Branquelas". O longa teve também o maior Ibope de um filme em 2007, 44 pontos na "Tela Quente", e agora será exibido na primeira madrugada de 2019.

A sessão de filmes continua com "De Repente é Amor" às 5h09 e o último longa-metragem será transmitido somente às 6h51, com um clássico do humor, "Vovó... Zona".

O "Mais Você" será o primeiro programa da Globo em 2019, às 8h20.


Record TV - O canal de Edir Macedo também fará um especial musical. A Record TV transmitirá no dia 31, a partir das 22h30, o especial "Elton John - I'm Still Standing".

O show apresenta músicos de vários gêneros cantando canções clássicas que ficaram famosas por Elton John, incluindo Alessia Cara, Miley Cyrus, Lady Gaga, Miranda Lambert, John Legend, Kesha, Little Big Town, Chris Martin, Shawn Mendes, Maren Morris, Ed Sheeran, Sam Smith e SZA.

O concerto também conta com aparições especiais de Jon Batiste, Neil Patrick Harris, Christopher Jackson, Anna Kendrick, Gayle King, Lucy Liu, Valerie Simpson e Hailee Steinfeld. Além disso, John sobe ao palco para realizar uma mistura de seus sucessos eternos.

Depois do show, a emissora exibe o filme "Ela Dança, Eu Danço 4", no "Cine Record Especial".


Band - A Band aposta na popularidade de Ivete Sangalo e chamará André Vasco para comandar a transmissão do Réveillon de Salvador.

O show ocorrerá das 22h às 3h, que também contará com reportagens de Pamela Lucciola.

SBT e RedeTV! - O SBT seguirá com sua programação normal no Réveillon de 2018 para 2019, com "Programa do Ratinho", "Conexão Repórter" e "The Noite".

Já a RedeTV! terá o "SuperPop" e o "Leitura Dinâmica" na sequência.

Fonte: Notícias da TV

"Cordel Encantado" volta no 'Vale a Pena Ver de Novo'


A escalação da novela escrita por Duca Rachid e Thelma Guedes põe fim a um ciclo de três reprises consecutivas de novelas das 21h: “Senhora do Destino”, “Celebridade” e “Belíssima”.
Exibida originalmente às 18h em 2011, o folhetim mescla elementos do cangaço nordestino com o encanto dos reinos da Europa. Na ocasião, a reportagem procurou a autora Thelma Guedes, que soube a informação na hora: “Não sabia! Notícia ótima! A novela é o trabalho mais feliz e do qual mais me orgulho de ter feito na Globo!”.

Sucesso de audiência, público e crítica, a trama conta a história de Açucena (Bianca Bin) e Jesuíno (Cauã Reymond); um amor, em tese, impossível. Ele é filho do cangaceiro Herculano (Domingos Montagner), que deseja vê-lo assumindo o “reinado” bandido.

Já a personagem de Bianca é filha de Rei Augusto (Carmo Dalla Vecchia), do fictício reino de Seráfia. Ela foi dada como morta ainda criança, após sua mãe, a Rainha Cristina (Alinne Moraes em participação especial) sofrer um atentado no Sertão Nordestino, orquestrado pela dupla de vilões Duquesa Úrsula (Débora Bloch) e Nicolau (Luiz Fernando Guimarães).

“Cordel Encantado” reestreia no próximo dia 14 de janeiro.

Fonte: Na Telinha

"Nos Tempos do Imperador" estreará novo modelo de produção


Com estreia prevista para o segundo semestre de 2019, "Nos Tempos do Imperador" entrará no ar com muitos capítulos escritos e gravados.

De autoria de Alessandro Marson e Thereza Falcão, a novela avançará na cronologia de "Novo Mundo", que fez sucesso na Globo em 2017, e girará em torno de Dom Pedro II por volta de seus 40 anos, entre as décadas 1850 e 1860.

Segundo informações da jornalista Patrícia Kogut, os autores já estão com 18 capítulos prontos e a previsão é que até a estreia a direção esteja com mais de 40 em mãos.

Esse é um novo modelo de produção que a emissora vem adotando, bem diferente de outros tempos, quando as novelas entravam no ar com uma pequena frente.

Escalação - Gabriela Medvedovski (uma das Five de "Malhação - Viva a Diferença") e Michel Gomes ("Cidade dos Homens", "Joia Rara", "3%") serão os protagonistas jovens de "Nos Tempos do Imperador".

Para isso, ainda de acordo com a colunista do jornal O Globo, farão aulas de prosódia para pegar o sotaque baiano.

Nem todo o elenco da trama ainda está definido e os trabalhos serão retomados em janeiro, com a definição do ator para interpretar o vilão, o deputado Tonico.

A história de Alessandro Marson e Thereza Falcão virá na sequência de "Espelho da Vida" e "Filhos da Terra" na faixa das 18h da Globo.

Fonte: Na Telinha

Surgem pistas do programa de Fernanda Gentil


O novo programa que a jornalista Fernanda Gentil vai apresentar na Globo será, tudo indica, diário e matinal.

Ele vai entrar no chamado "bloco das empoderadas" - na manhã na Globo, que já conta com Ana Maria Braga e Fátima Bernardes.

O programa da carioca Fernanda Machado Soares Gentil, 32, ainda está sendo tratado sob o máximo sigilo, mas já se sabe que ele terá um enorme espaço para jornalismo embora faça parte da área de entretenimento.

A inclusão de jornalismo é uma das únicas certezas, já que sob o comando do programa estará o novo diretor da área, Mariano Boni.

Também é possível (ou melhor, provável) que o "Bem-Estar" passe a integrar uma espécie de quadro no novo programa de Gentil - mas com foco mais voltado aos esportes.

Embora ninguém se pronuncie oficialmente, a ideia é que Fernanda - que tem grande empatia junto ao público, segundo pesquisas internas, "amarre" todos os públicos matinais da Globo.

Isso inclui o interessado em notícia, o que gosta de ouvir um papo ameno, dar risada e ver receitinhas com Ana Maria Braga, e o "lacrador" que está atrás de informações e discussões sobre cidadania e a defesa de minorias, caso de Fátima.

O novo programa de Fernanda Gentil deve estrear entre março e abril.

Fernanda trabalha no Grupo Globo desde a década passada.

Fonte: Ricardo Feltrin, do UOL

Fernanda Paes Leme volta às novelas em "Malhação"


Depois de "Salve Jorge" (2012) e mergulhar na carreira de apresentadora, Fernanda Paes Leme volta às novelas e no início de 2019 estará em "Malhação: Vidas Brasileiras".

A informação do jornal Extra desta quarta-feira (26) traz que ela viverá a professora Solange, indicada pelo conselho da escola Sapiência para supervisionar o trabalho da direção.

Na trama, ela se encantará por Rafael (Carmo Dalla Vecchia), deixando Gabriela (Camila Morgado) com bastante ciúmes.

Os dois se conhecerão por acaso antes mesmo que ela assuma a função na escola.

Carreira - Fernanda Paes Leme começou a carreira há 20 anos, seriado "Sandy & Junior", na Globo, e depois emplacou consecutivos papéis na emissora carioca ao longo da década seguinte.

Depois de ter participado de "Salve Jorge", passou a investir na carreira de apresentadora e teve experiências no "X Factor", da Band, em 2016, e atualmente apresenta o "Desengaveta" e "Missão Design", no GNT.

Fonte: Na Telinha

Record TV contrata galã teen do SBT


O ator e cantor Luckas Moura, de 16 anos, que fez o vilão Omar em "Cúmplices do Resgate" no SBT, foi escalado para a macrossérie bíblica da RecordTV, "Jezabel", escrita por Cristianne Fridman.

Com quase um milhão e meio de seguidores no Instagram e fã de Wesley Safadão, o galã teen capitalizou com o período em que esteve na trama de Íris Abravanel e passou a apostar na música. Ele formou a dupla sertaneja Luckas Moura e Dorgival e passou a fazer turnê pelo país.

Com sua escalação para "Jezabel", Luckas estará simultaneamente em duas emissoras no próximo ano, já que "Cúmplices de um Resgate" reestreia em breve na faixa das 21h30 do SBT, substituindo "Chiquititas".

Na macrossérie da Record TV, ele será Noam. Outros nomes do elenco são: Eduardo Lago (Phineas), Ricardo Pavão (Pigmaleão) e André Bicudo (Yakir).

Com previsão de 80 capítulos, "Jezabel" será protagonizada por Lidi Lisboa, que fará a personagem da Bíblia que foi esposa de Acabe, o rei de Israel. Profundamente religiosa, espalhou a idolatria e abusou do poder que possuía, colocando-se ativamente contrária ao Deus de Israel. Jezabel ficou conhecida como a rainha má.

As gravações da trama bíblica começam em janeiro no Marrocos e nos estúdios localizados na cidade de Paulínia, em São Paulo. A produção será da produtora Formata.

"Jezabel" substituirá a novela "Jesus" em março na faixa das 20h45. A direção é de Alexandre Avancini.

Fonte: Na Telinha

Alexandre Garcia deixa a Globo após 30 anos


O apresentador e comentarista político Alexandre Garcia (78) deixou a TV Globo após 30 anos.

A informação foi confirmada pela emissora nesta sexta-feira (28). Em comunicado, o diretor de jornalismo da emissora, Ali Kamel, disse que o jornalista foi quem decidiu se desligar da emissora e o elogiou por seu legado profissional.

"Em decisão muito refletida, depois de quase 31 anos de trabalho aqui na Globo, Alexandre decidiu deixar a emissora para amenizar um pouco o seu ritmo frenético de trabalho. Diante do trabalho exemplar ao longo de todos esses anos, é uma decisão que respeito. Ele deixa um legado de realizações que ajudaram o jornalismo da Globo a construir sua sólida credibilidade junto ao público. O trabalho na Globo foi a sequência de uma vida profissional que poucos podem ostentar", afirmou.

O diretor agradeceu a Garcia pelos serviços prestados. "Em nome da Globo, eu agradeço tudo de grande que Alexandre fez para o jornalismo da emissora, um legado que deve inspirar a todos nós que aqui trabalhamos: profissionalismo, brilho, correção e competência. E eu agradeço tudo o que fez por mim, seu jeito gentil, sua generosidade. Muito obrigado, Alexandre, um grande abraço, que você seja muito feliz, porque você fez por merecer", afirmou.

Alexandre Garcia entrou na Globo em março de 1988. Na emissora, ele teve funções de repórter e diretor de jornalismo antes de se tornar comentarista político e apresentador. Atualmente, ele atuava como comentarista político do "Bom Dia Brasil".

Como jornalista, ele passou pelos principais telejornais da emissora, como "Jornal Nacional", "Jornal Hoje" e "Jornal da Globo", e foi um dos mediadores do polêmico debate entre os presidenciáveis Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Collor, em 1989. No "Fantástico", no início de sua carreira na emissora, apresentou um quadro de crônicas que levava seu nome.

A ligação com a política é antiga. No governo do último presidente do regime militar, João Baptista Figueiredo, Garcia atuou como porta-voz e secretário de imprensa, mas acabou sendo exonerado devido à repercussão da entrevista "O Porta-Voz da Abertura" para a revista "Ele e Ela" em que se apresentava deitado em uma cama de cueca.

No texto, Ali Kamel afirma ainda que Garcia não deverá deixar a profissão fora da emissora. "Em nossa conversa, Alexandre me disse que deixa a Globo, mas não o jornalismo. Ele continuará a ter seus comentários políticos transmitidos por duzentas e oitenta rádios Brasil afora. Do mesmo jeito, continuará a escrever artigos para um sem número de jornais por todo o país. E, entre seus planos, está o de acrescentar outros títulos ao seu livro de grande sucesso 'Nos Bastidores da Notícia', lançado em 1990 pela Editora Globo".

O diretor agradeceu a Garcia pelos serviços prestados. "Em nome da Globo, eu agradeço tudo de grande que Alexandre fez para o jornalismo da emissora, um legado que deve inspirar a todos nós que aqui trabalhamos: profissionalismo, brilho, correção e competência. E eu agradeço tudo o que fez por mim, seu jeito gentil, sua generosidade. Muito obrigado, Alexandre, um grande abraço, que você seja muito feliz, porque você fez por merecer", afirmou.

Alexandre Garcia entrou na Globo em março de 1988. Na emissora, ele teve funções de repórter e diretor de jornalismo antes de se tornar comentarista político e apresentador. Atualmente, ele atuava como comentarista político do "Bom Dia Brasil".

Como jornalista, ele passou pelos principais telejornais da emissora, como "Jornal Nacional", "Jornal Hoje" e "Jornal da Globo", e foi um dos mediadores do polêmico debate entre os presidenciáveis Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Collor, em 1989. No "Fantástico", no início de sua carreira na emissora, apresentou um quadro de crônicas que levava seu nome.

A ligação com a política é antiga. No governo do último presidente do regime militar, João Baptista Figueiredo, Garcia atuou como porta-voz e secretário de imprensa, mas acabou sendo exonerado devido à repercussão da entrevista "O Porta-Voz da Abertura" para a revista "Ele e Ela" em que se apresentava deitado em uma cama de cueca.

No texto, Ali Kamel afirma ainda que Garcia não deverá deixar a profissão fora da emissora. "Em nossa conversa, Alexandre me disse que deixa a Globo, mas não o jornalismo. Ele continuará a ter seus comentários políticos transmitidos por duzentas e oitenta rádios Brasil afora. Do mesmo jeito, continuará a escrever artigos para um sem número de jornais por todo o país. E, entre seus planos, está o de acrescentar outros títulos ao seu livro de grande sucesso 'Nos Bastidores da Notícia', lançado em 1990 pela Editora Globo".

Fonte: UOL

Ibope atualiza representatividade de 1 ponto em 2019


A partir de 1º de janeiro de 2019, com base nas novas estimativas populacionais, o Kantar Ibope atualiza a representatividade de 1 ponto de audiência de televisão nas praças medidas.

Em 2018, 1 ponto na Grande São Paulo equivalia a 71.855 lares, enquanto em 2019 será de 73.015.

Em números de telespectadores, 1 ponto representava 201.061, e agora serão 204.050 na capital paulista.

Outra praça importante para o mercado publicitário, Grande Rio de Janeiro também sofreu ajustes. Em 2018, 1 ponto era sinônimo de 25.253 lares e 118.472 telespectadores. No próximo ano, 1 ponto será o mesmo que 26.175 casas e 119.283 pessoas.

No PNT (Painel Nacional de Televisão) não foi diferente e também passou por mudanças na sua representatividade.

O Kantar Ibope aponta que agora no mercado nacional 1 ponto equivale a 254.892 lares ou 711.081 telespectadores. Em 2018, essa quantidade era de 248.647 casas ou 693.786 pessoas.

Fonte: Na Telinha

Os melhores da TV em 2018

Encerrando a temporada de retrospectivas de 2018 com uma seleção de melhores do ano – 10 escolhas bem pessoais de programas, apresentadores, grupos e atores que me impressionaram nos últimos 12 meses. Fique à vontade para discordar e apontar os seus melhores na área de comentários do blog.


O melhor do ano: Nem novela nem série, "Onde Nascem os Fortes" foi apresentada como uma supersérie. Não entendo bem esta nomenclatura, mas tenho certeza que foi a melhor coisa que a TV aberta brasileira exibiu em 2018. Com 53 capítulos, a história de George Moura e Sergio Goldenberg, dirigida por José Luiz Villamarin, ofereceu ao público momentos extraordinários, fortes e comoventes, vividos por um timaço de atores. Com poucos personagens centrais, a supersérie foi construída de forma muito engenhosa, surpreendendo não apenas com ângulos e visuais inesperados, mas com desdobramentos impensáveis da história. Nenhum personagem foi o que se imaginava dele no início. Entre muitos outros, palmas para Fabio Assunção, Enrique Diaz, Patricia Pillar, Alice Wegmann, Debora Bloch, Alexandre Nero, Irandhir Santos, Gabriel Leone, Jesuíta Barbosa e Maeve Jinkings.


O homem do ano: Ninguém apareceu mais na mídia em 2018 do que Silvio Santos. No ano em que completou 88 anos, o dono do SBT não descansou um minuto: inventou brigas com Mara Maravilha, fez propaganda para Michel Temer, constrangeu Claudia Leitte no Teleton, recebeu Jair Bolsonaro para um churrasco, tripudiou de Edir Macedo por causa do sucesso de "Poliana" e lembrou: "Quem não pode fazer amor, come chocolate". Mais um ano em que Silvio mostra que o SBT é ele.


A melhor escolha: Demorou dez anos, mas antes tarde do que nunca. Em 2018, finalmente, a Record encontrou o apresentador ideal para "A Fazenda". E ele estava na casa quase este tempo todo. Marcos Mion foi "o cara" do ano. À vontade, divertindo-se, rindo dos participantes e sem se intimidar com as orientações do diretor, o apresentador conseguiu impor um ritmo próprio ao reality. Sem exagero, é possível dizer que ressuscitou um formato que parecia condenado.


A melhor série: "Sob Pressão" chegou ao final da segunda temporada causando ainda mais impacto do que a primeira. Com a entrada em cena de Renata (Fernanda Torres), a série sobre um hospital público no subúrbio do Rio conseguiu tratar do tema da corrupção. Evandro (Julio Andrade) e Carolina (Marjorie Estiano) voltaram a emocionar o público protagonizando histórias de heroísmo e tragédia na emergência do hospital. Palmas para a equipe de criação, comandada por Jorge Furtado, que já prepara uma terceira temporada.


A melhor surpresa: Várias foram as tentativas nos últimos anos de adaptar sucessos do You Tube para a TV aberta. Nenhuma funcionou direito. O grande acerto da surpreendente decisão de levar o Choque de Cultura para a Globo foi a opção de não interferir no trabalho do grupo de humor. Com esquetes muito semelhantes aos que já exibiam na internet, Caíto Manier, Daniel Furlan, Leandro Ramos e Raul Chequer, encarnando motoristas de van, apresentaram a um público maior os hilários debates sobre cinema protagonizado pelos reis do transporte alternativo.


A inesperada reinvenção: Com enormes serviços prestados à televisão, Gugu Liberato se viu em 2018 sem um programa para chamar de seu. Sem estrelismo, encarou apresentar dois formatos prontos na Record, o reality "Power Couple" e o show de talentos "Canta Comigo". Não foi nenhuma Brastemp, mas não comprometeu e, ajudado pelas características dos programas, adaptou-se bem à tarefa. Assim como Xuxa, à frente do "Dancing Brasil" desde 2017, Gugu mostrou que o bom apresentador, nos dias de hoje, precisa ser maleável.


A mocinha que mais sofreu: Entre 26 de outubro de 2017 e 19 de março deste ano, Vitória Strada sofreu na pele de Maria Vitória, a mocinha de "Tempo de Amar", também conhecida como "Tempo de Sofrer". Lançada pela Globo já no papel de protagonista, a atriz se saiu tão bem que, seis meses depois, em 25 de setembro, ela já estava de volta ao ar, novamente como protagonista. Só que desta vez na pele de duas sofredoras, Cris e Julia, uma no presente e outra no passado, em "Espelho da Vida". Se no final de 2019 Vitória Strada aparecer no especial de Roberto Carlos estará comprovado que a Globo encontrou uma boa atriz para substituir Marina Ruy Barbosa.


A maior goleada: Com o fim do "Pânico na Band", a correlação de forças nas noites de domingo mudou em 2018. Nada mais simbólico do novo estado das coisas que a goleada histórica aplicada pelo "Encrenca", da RedeTV!, na programação da Band. Num certo domingo de junho, o humorístico venceu a emissora rival por 7 a 1, em número de pontos do Ibope. Em uma entrevista, os quatro integrantes do grupo contaram que, no início, queriam que imitassem justamente o "Pânico", o que eles tiveram o bom senso de evitar.


A homenagem mais tocante: Jô Soares esteve três vezes este ano no "Programa do Porchat". Em abril, deu uma longa entrevista, tão emocionante quanto interessante, exibida pela Record em dois episódios. E no final de novembro, participou novamente do programa. Nas duas ocasiões, contou histórias que aparecem nos dois volumes de "O Livro de Jô", sua "autobiografia desautorizada". O primeiro encontro de Porchat com Jô foi especialmente marcante pelo tom de homenagem do aluno ao mestre. Após três temporadas, Porchat deixou a Record em dezembro.


A despedida em alto nível: Foram 52 episódios, exibidos ao longo de quatro temporadas, entre 2015 e 2018. Criada por Jorge Furtado, "Mister Brau" se despediu do público este ano com um episódio gravado na África. Foi um programa histórico – pela primeira vez, um casal de personagens negros bem-sucedidos protagonizou uma série na Globo. "Foi importante, em primeiro lugar, por trazer uma família que não estava na TV brasileira. Uma família de origem humilde que venceu através do seu trabalho, e que celebrava a vida. Isso faltava na televisão e Brau preencheu com maestria", disse Lázaro Ramos.

Fonte: Maurício Stycer, do UOL

Quem se deu bem e foi promovido em 2018


Em meio a algumas baixas em seu casting, a Globo promoveu uma enorme dança das cadeiras em 2018 e expandiu o time de apresentadores no Entretenimento: promoveu atores, transferiu jornalistas e ampliou o espaço para alguns dos talentos que estavam subaproveitados na grade. No Jornalismo, também houve mudanças consideráveis.


Em alguns casos, como o de Tiago Leifert, houve uma overdose de exposição que acabou desgastando a imagem do apresentador.

Ele esteve à frente de quatro programas diferentes: começou o ano no Big Brother Brasil, passou ao Zero1, comandou o Central da Copa e encerrou 2018 na sétima temporada do The Voice Brasil.

Essa superexposição de Leifert e de outros nomes motivou a Globo a testar novos talentos no Entretenimento. No Jornalismo, profissionais de destaque foram alçados a desafios maiores. Confira quem se deu bem na dança das cadeiras deste ano:


Após dez anos no Esporte, Fernanda Gentil foi promovida ao Entretenimento. Ela se despediu do Esporte Espetacular há duas semanas, na edição de 45 anos do programa, e passará os próximos meses se dedicando a uma nova atração, ainda em sigilo. Seu bom posicionamento diante das câmeras, a capacidade de improviso e a alta aceitação perante o público a fizeram dar este salto na carreira.


Patrícia Poeta deixou o Jornal Nacional em 2014 na intenção de ter um programa solo, mas seu projeto foi engavetado e desde então ela está escondida no É de Casa. Em julho, ela teve sua primeira chance à frente do Encontro, retornando ao comando da atração em novembro, após ter o desempenho bem avaliado pela alta cúpula da emissora. Ela foi efetivada no posto de substituta de Fátima Bernardes.


Joaquim Lopes conseguiu contornar uma iminente demissão da Globo e ser alçado ao posto de salvador do Vídeo Show. Em 2017, com o contrato prestes a se encerrar, ele descolou um papel na novela Orgulho e Paixão e deixou o programa.

Neste ano, com a saída de Otaviano Costa, inúmeras tentativas foram feitas para salvar a atração até que lembraram do bom desempenho do ator e o convocaram para retomar o posto deixado no ano passado. Sua chegada melhorou o dinamismo do Vídeo Show, mas a audiência ainda não tem respondido à altura.


Saber esperar a hora certa fez com que Otaviano Costa voltasse a comandar um programa solo após 18 anos, desde sua saída da Band. De volta à Globo desde 2009, ele aproveitou as oportunidades em novelas, voltou a trabalhar com Fausto Silva no Domingão do Faustão até que foi convidado para o Vídeo Show, em 2013.

Bem avaliado internamente e bastante querido pelo público, ganhou a oportunidade de ter um programa para chamar de seu: o Tá Brincando!?, que estreia dia 5 de janeiro.


Para evitar uma superexposição de Fernanda Lima, Taís Araújo foi convocada para tocar a segunda temporada do Popstar. E o programa ganhou um frescor com a inexperiência da atriz, que lhe proporcionou momentos engraçados diante das câmeras, com direito a broncas, gafes e reações espontâneas que agradaram boa parte da audiência.


O bom desempenho de Renata Lo Prete a colocou no Jornal da Globo no fim do ano passado, após a conturbada demissão de William Waack da emissora. Mas o destaque neste ano se deu durante a campanha eleitoral. Suas entrevistas com os presidenciáveis foram muito elogiadas, por não se intimidar com os candidatos e os colocar contra a parede de forma precisa.

Resultado: conseguiu desbancar Renata Vasconcellos e ficou ao lado de William Bonner nos dois domingos de apurações, tanto no primeiro quanto no segundo turno.


A Globo decidiu promover a jornalista Jacqueline Brasil para o posto de apresentadora titular do mapa-tempo de seus telejornais matinais, o Hora 1 e o Bom Dia Brasil, além do Em Ponto, apresentado por José Roberto Burnier na GloboNews. Ela foi efetivada na vaga que pertencia a jornalista Izabella Camargo, demitida no fim de outubro após voltar de uma licença médica de dois meses e meio.

Jacqueline, que até então tinha o cargo de repórter, foi efetivada como apresentadora somente em dezembro, embora já estivesse substituindo Izabella desde agosto. A Globo foi discreta na operação. Não houve nenhum comunicado interno. Nem os apresentadores dos telejornais envolvidos ficaram sabendo. Apenas seus editores-chefes.

Fonte: Notícias da TV

TV deu show de saias justas ao vivo em 2018

Televisão ao vivo está sempre sujeita a fatos inesperados, mas em 2018 os apresentadores, repórteres e convidados se superaram. Houve saias justas para todos os gostos. No SBT, Silvio Santos chegou a novos níveis de falta de noção com seus convidados, e o elenco do Fofocalizando causou. Na Globo, Taís Araújo teve de lidar com imprevistos no Popstar, e Veruska Donato teve uma viagem de helicóptero emocionante até demais.

Relembre saias justas e barracos marcantes deste ano na TV aberta:


Silvio Santos e Claudia Leitte no Teleton - O caso que mais deu o que falar no Teleton foi o assédio de Silvio Santos em relação a Claudia Leitte. O apresentador disse que ficaria excitado se a abraçasse após vê-la com um vestido curto. Claudia até tentou levar o comentário na brincadeira, mas ele mesmo fez questão de dizer que estava falando sério.

O episódio teve repercussão nacional, e várias atrizes e cantoras famosas se posicionaram em defesa de Claudia. Ela também fez um post no Instagram em que deixava claro seu incômodo com a situação.


Mara Maravilha e Leo Dias no Fofocalizando - Foram várias as trocas de farpas ao vivo entre Mara Maravilha e Leo Dias no Fofocalizando. Ele ficou irritado quando ela deu a entender que uma informação dele era fake news. Já Leo Dias fez Mara chorar ao chamá-la de dona da razão.


Roger Turchetti deixa Lívia Andrade confusa - Ainda no Fofocalizando, Lívia Andrade deu uma bronca feia em um repórter ao vivo. Roger Turchetti foi escalado para comunicar o nascimento de Zoe, filha de Sabrina Sato, mas fez um relato tão confuso que ouviu um sermão da apresentadora.


Fausto Silva e os nomes dos convidados do Domingão - Fausto Silva cometeu uma série de gafes e piadas involuntárias com os convidados famosos do Domingão do Faustão, mas não deu importância a nenhuma delas e, em todos os casos, seguiu com o programa como se nada fosse. Em novembro, ele chamou Mariana Ferrão de Mariana Leão, funcionária da RedeTV! demitida neste ano, e Claudia Di Moura de Claudia Mauro, atriz da Record.


Taís Araújo e a falha das notas no Popstar - Em sua estreia na apresentação do Popstar, Taís Araújo teve de enfrentar alguns percalços. Em duas situações, o placar dos participantes do programa apareceu errado e mostrou uma nota zero. Na primeira vez, ela estranhou. Na segunda, desabafou: "Hoje de novo, Jesus?"


Veruska Donato e o susto com o helicóptero - Em outubro, o helicóptero da Globo em que voavam a repórter Veruska Donato e o cinegrafista José Afonso teve um problema mecânico: a porta do lado esquerdo se abriu em pleno voo, desestabilizando a aeronave, que chacoalhou. O piloto não conseguia fechar a porta sozinho, e Veruska entrou em pânico. O cinegrafista foi o herói do dia, saiu de seu lugar, fechou a porta e salvou a todos.

O Globocop seguiu no ar normalmente, e os repórteres continuaram mostrando os problemas no trânsito de São Paulo. Veruska só demonstrou algum nervosismo em sua penúltima entrada ao vivo, quase no fim do Bom Dia São Paulo.


Maísa, Silvio Santos e suas perguntas constrangedoras - Em mais um exemplo de falta de filtro, Silvio Santos fez perguntas provocantes a Maisa Silva em seu programa. Primeiro, ele perguntou se ela ainda era "invicta", querendo dizer se ela ainda era virgem. Maisa se fez de sonsa e não respondeu no sentido que o apresentador queria, mas ele insistiu.

"Você já viu seu namorado pelado?", perguntou. Maisa, então com 15 anos, não respondeu. Levou numa boa, sem polemizar.

Fonte: Notícias da TV